Crohn's Disease: General characteristics and treatment with Adalimumabe biopharmaceutical

S. A. Marques, E. E. Oliveira, L. Bizeto, J. L. R. Santos, V. C. G. Soares

Resumo


Crohn's Disease (CD) is a chronic inflammatory disease that affects the gastrointestinal system. The etiology is not fully understood, however, genetic, immunological, microbiological and environmental factors are related to its genesis. The most common manifestations of this disease are diarrhea, abdominal pain, ulcers and fistulas. In the absence of adequate treatment it can evolve into extra intestinal complications and is also an important risk factor for colon and rectal cancer. The treatment of the disease is palliative and there is no cure for the disease, being considered only the period of remission of symptoms, as a good prognosis. The biopharmaceutical, Adalimumabe, produced by recombinant DNA technology has demonstrated efficacy in the treatment of this disease, as it prevents the action of TNF-α, a cytokine involved in inflammation and is abundant in individuals with CD. Although Adalimumabe has good results, its use leads to side effects that can be mild or fatal, such as the activation of tuberculosis.

Palavras-chave


Crohn's disease, risk factors, Adalimumab; TNF-alfa

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Anvisa. Bula Humira®. 2016. Disponível em:

http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=10940062015&pIdAnexo=3002701. Acesso em: 16/10/2016.

Barbosa, G S. O. Farmacovigilância na Doença de Crohn. Teresina, 2015. Universidade Federal do Piauí Centro de Ciências da Saúde Programa de pós-graduação em ciências farmacêuticas. Disponível em: http://repositorio.ufpi.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/183/DISSERTAC%C3%83O.pdf?sequence=1. Acesso em: 24/09/2014.

Brasil, 2010. Resolução- RDC n° 55, de 16 de dezembro de 2010. Disponível em: xa.yimg.com/kq/.../RDC+55-10+ REGISTRO+DE+PROD+BIOLOGICOS.docx. Acesso em: 25/09/2016.

Brasil, 2013. Ministério da saúde. Adalimumabe - Advocacia-Geral da União. Consultoria Jurídica. Nota Técnica N°197/2013. Brasília. Disponível em: www.agu.gov.br/page/download/index/id/23744339. Acesso em: 21/08/2016

Brasil, 2014. Ministério da Saúde. Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas. 1° edição volume 3. São Paulo. MS. 2014. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Protocolos/Livros/LivroPCDT_VolumeIII.pdf. Acesso em: 1/8/2016

Cardozo, W. S.; Sobrado, C. W. Doença Inflamatória Intestinal. 1° edição. São Paulo. Manole Educação. 2012.

Coelho, J. T. A. Anticorpos Monoclonais. Universidade Fernando Pessoa - Faculdade de Ciências da Saúde. Dissertação para a obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas. Porto 2014. Disponível em: http://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/4874/1/PPG_21755.pdf. Disponível em: 10/09/2016

Cotran, R.; Kumar, V.; Patologia estrutural e funcional. 6° edição. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2000.

Flora, A. P. L.; Dichi, I. Aspectos atuais na terapia nutricional da doença inflamatória intestinal. Revista Brasileira Nutrição Clínica. Londrina 2006. Disponível em: file:///C:/Users/eeoliveira/Downloads/doen%C3%A7a+inflamat%C3%B3ria+intestinal+e+terapia+nutricional+2006.pdf. Acesso em: 04/9/2016.

Funed- Fundação Ezequiel Dias. Projeto de parceria para desenvolvimento produtivo de Adalimumabe, indicação artrite e outras doenças autoimunes. Belo Horizonte, 2015. Disponível em: www.funed.mg.gov.br/wp-content/uploads/2014/04/projeto_adalimumabe_rev01.pdf. Acesso em 10/09/2016

Gomes, R. G. Associação de polimorfismos nas sequências regulatórias dos genes HLA-G, IL-10 e TNF e a sua respectiva expressão gênica em lesões de mucosa em pacientes portadores de doença inflamatória intestinal. Fundação Oswaldo Cruz. Recife, 2014. Disponível em: http://www.cpqam.fiocruz.br/bibpdf/2014gomes-rg.pdf

Gonçalves, A. C. M. Relação entre a Infeção por Escherichia coli Aderente-Invasiva e a Doença de Crohn. Porto 2013. Dissertação de mestrado em análises clínicas. Universidade Fernando Pessoa. Disponível em: www.bdigital.ufp.pt/bitstream/Monografia/AnaCatarinaGonçalves.pdf. Acesso em: 07/08/2016.

Interfarma. Medicamentos biológicos na prática médica. 2° edição. São Paulo. AMB. 2013

Junior, H. G. Produção de fator de necrose tumoral (TNF) em hemoculturas humanas induzida por agonistas de TLR2 (toll-like receptor 2): modulação pelo fator ativador de plaquetas (PAF). Universidade Federal de Goiás. Goiânia 2008. Disponível em: https://posstrictosensu.iptsp.ufg.br/up/59/o/HelioGaldinoJr-2008.pdf. Acesso em: 02/10/2016.

Júnior, J. E. R. R.; Chebli, L. A.; Chebli, J M. F. Segurança e riscos do tratamento da doença inflamatória intestinal durante gravidez e aleitamento. Disponível em: file:///C:/Users/Manoel/Downloads/1264-8979-1-PB.pdf. Acesso em: 1/09/2016.

Kotze, P. G.; Albuquerque, I.C; Kotze, L. M.S.; Formiga, G. J. S. Reindução da Remissão Clínica com Adalimumabe após Interrupção do Tratamento: Uma Alternativa no Manejo da Doença de Crohn. Curitiba. 2010. Revista Brasileira de Coloproctologia. Vol.30; n°2. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rbc/v30n2/v30n2a03.pdf. Acesso em: 15/06/2016.

Manzano, R. P. A.. Estudo da toxicidade do Adalimumabe (Humira®) intravítreo para a retina de coelhos. Faculdade de Medicina de São Paulo. São Paulo 2010. Disponível em: www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde.../RobertaPereiraAlmeidaManzano.pdf. 24/09/2016.

Maranhão, D. D. A.; Vieira, D.; Campos, T. Características e diagnóstico diferencial das doenças inflamatórias intestinais. São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.files.bvs.br/upload/S/0047-2077/2015/v103n1/a4920.pdf. Acesso em: 3/09/2016

Marcolino, T. V. S.. Guia passo a passo para utilização de biológicos. Disponível em: http://www.gamedii.com.br/docs/area-do-profissional/guia-pratico-biologicos.pdf. Acesso em: 8/09/2016.

Morais, G. F.; Barbosa, A. C L.; Louzano, D. F. Denominações Comuns de Medicamentos Biológicos. São Paulo, 2012. Disponível em: www.dannemann.com.br/dsbim/uploads/imgFCKUpload/file/Artigo_Denomina%C3%A7%C3%A3o_Medicamentos_Biol%C3%B3gicos_e_Biossimilares_vers%C3%A3o%20FINAL_Final.pdf. Acesso em: 25/09/2016.

Parslow, G. T.; Stites, D. P.; Terr, Abba I.; Imboden, John B.; Imunologia médica. 10° edição. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro 2004.

Pinho, M. Genética e Biologia Molecular: A Biologia Molecular das Doenças Inflamatórias Intestinais. Revista. Brasileira de Coloproctologia. Joinville. 2008. Laboratório de Biologia Molecular e Disciplina de Clínica Cirúrgica do Departamento de Medicina da UNIVILLE. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rbc/v28n1/a18v28n1.pdf. Acesso em: 20/08/2016

Pires, A. C. O. A.; Ferreira, C. P. O.; Ramos, F.O.; Souza, L. L.; Siqueira, L. P.V.. O papel da corticoterapia na Doença de Crohn. Universidade Vale do Rio Doce Faculdade de Ciências da Saúde Curso de Farmácia. Governador Valadares 2010. Disponível em: http://www.pergamum.univale.br/pergamum/tcc/Opapeldacorticoterapianadoencadecrohn.pdf. Acesso em: 12/10/2016.

Poli, D.D.. Impacto da raça e ancestralidade na apresentação e evolução da Doença de Crohn no Brasil. São Paulo, 2007. Dissertação de mestrado em medicina, gastrenterologia clínica da Universidade de São Paulo. Disponível em: www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5147/tde-0108200716445/.../deboradpoli.pdf. Acesso em: 22/04/2016.

Rang, H.P; Dale, M.M; Ritler, J.M.; Flower, R.J; Handerson, G. Farmacologia. Tradução da 7° edição. Elsevier 2012.

Ribeiro, I.C.T. Doença de Crohn: etiologia, patogênese e suas Implicações na terapêutica. Covilhã, 2009. Universidade da Beira Interior. Disponível em: www.fcsaude.ubi.pt/thesis2/anexo.php?id=f87f25532fd6160c. Acesso em: 20/08/2016.

Santos, S.C. Doença de Crohn: Uma abordagem geral. Curitiba 2011. Universidade Federal do Paraná. Disponível em: www.acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/32917/SHAYENNE%20DE%20CASTRO%20SANTOS.pdf?sequence=1. Acesso em: 22/04/2016.

Schoffen, J.P.F.; Prado, I.M.M. Aspectos epidemiológicos e etiológicos da Doença de Crohn. Maringá 2011. Revista Saúde e Pesquisa, v. 4, n. 1, p. 73-80. Disponível em: http//periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/viewFile/1720/1205. Acesso em: 14/08/2016

Silva, R.; Ferreira, T.V. Os agravos relacionados à Doença de Crohn: o impacto na qualidade de vida do portador. Rio Verde. 2011. Disponível em: http://revistaobjetiva.com/revista/wpcontent/uploads/2013/02/OS-AGRAVOS-RELACIONADOS-%C3%80DOEN%C3%87A-DE-CROHN-o-impacto-na-qualidade-de-vida-do-portador.-Rosilene-da-Silva-Ribeiro-de-Paula-Tairo-Vieira-Ferreira.pdff. Acesso em: 03/09/2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.