Microbiological aspects of Escherichia coli in urinary tract infections in sows of commercial farms in Sinop-MT

L. F. B. Venancio, K. R. Ducatti, M. O. Lima, T. B. Vieira

Resumo


Urinary infections (UI) in nuts are highly prevalent in modern intensive farming systems and cause significant economic losses, especially for reproductive failure and shortening the life of the array. The most frequently isolated agent is the bacterium Escherichia coli (E. coli). Variables such as environmental contamination pressure, management, nutrition, physiological and anatomical facilities and conditions of the animal itself are directly linked to illness. The objective of this work was to monitor microbiological urine nuts with suspected UI on commercial farms in the municipality of Sinop-MT, by counting of aerobic mesophilic total of Escherichia coli research and antimicrobial susceptibility profile. Urine samples with aerobic mesophilic total counts above 105UFC / mL were considered positive, confirming IU in 12 samples (28.57%) of the 42 females subjected to collections. Of the 42 urine samples, 305 were isolated colonies of Gram negative bacteria and through biochemical tests it was confirmed E.coli in 165 (54.09%) of these. In 37 (88.09%) of the 42 samples collected had involvement of E. coli, with or without other pathogens and all positive samples for UI by total aerobic mesophilic bacteria count showed. Through the antimicrobial susceptibility profile test, E. coli strains showed sensitivity to the following percentages: Gentamicin (100%), Streptomycin (98.70%), Neomycin (92.85%) Doxycycline (91.55%) , Enrofloxacin (80.51%), Sulfazotrim (64.28%), Ampicillin (62.97%), tetracycline (61.68%) and Amoxicillin (24.04%). The diagnosis of UI should be carried out thoroughly, assessing clinical and microbiological aspects, for the identification of the microorganism involved and the realization of antimicrobial susceptibility testing prevents the appearance of multi-resistant bacterial strains.


Palavras-chave


Cystitis, swine, Escherichia coli, antibiogram

Texto completo:

PDF

Referências


BEGOTTI, I. L.; STRAIOTO, K. A.; MORAES, F. F.; PIASSA, M. M. C.; MERLINI, N. B.; MARTINS, L. A.; MERLINI,L. S. Perfil de sensiblidade de Escherichia coli isoladas de urina de matrizes suínas. Arq. Ciênc. Vet. Zool. UNIPAR, Umuarama, v. 15, n. 1, p. 29-32, jan./jun. 2012.

BERTSCHINGER, H. U. Urinary tract infection. In: STRAW, B. E.; D’ALLAIRE, S.; ENGELING, W. L.; TAYLOR, D. J. (Eds.). Diseases of swine. 8. ed. Ames – USA: Iowa State University, 1999. p. 464-468.

BIONDO, N.; PRESOTTO, R.; LUBECK, I. Avaliação de parâmetros químicos, físicos e sedimento de urina de fêmeas suínas gestantes em granjas no oeste de Santa Catarina e sua correlação com exame bacteriológico e perfil de sensibilidade a antimicrobianos. In: COMBRAVET, n. 35, 2008, Gramado, RS. Anais de palestras e resumos. CD-ROM

BRITO, B.G. & TAGLIARI, K.C. Sensibilidade antimicrobiana de amostras de Escherichia coli isoladas de leitões lactentes com diarréia. Rev. Bras. Cienc. Vet., v.7, n.2, p.117-119, 2000

BRITO, B.G.; LEITE, D. S.; LINHARES, R. E.; VIDOTTO, M. C. Virulence-associated factors of uropathogenic Escherichia coli strains isolated from pigs. Veterinary Microbiology, v.65, n.2, p.123-132, 1999.

COLLINS, T.; MEUWIS, M. A.; GERDAY, C. ; FELLER, G., Activity, stability and flexibility in glycosidases adapted to extreme thermal environments. J Mol Biol 328: 419–428, 2004.

COSTA, M. M.; DRESCHER, G.; MABONI, F.; WEBER, S.; BOTTON, S. A.;

VAINSTEIN, M. H.; SCHRANK, I. S; VARGAS, A. C. Virulence factors and antimicrobial resitance of Escherichia coli isolated from urinary tract of swine in southern Brazil. Brazilian Journal of Microbiology, v. 39, p. 741-743, 2006.

DRUMMOND, V. O. Detecção de genes de enterotoxinas, caracterização bioquímica e avaliação da sensibilidade a antimicrobianos de Escherichia coli isoladas de suínos hígidos do Distrito Federal. Brasilia: Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasilia, 2011, 75p. Dissertação de Mestrado.

GESSULLI AGROBUSINESS ONLINE. Infecções Urinárias, A importância de combate-las. Revista Gessulli Agrobusiness – Suinocultura Industrial Online, mai. 2011. Disponível em: http://www.suinoculturaindustrial.com.br/edicao/242/20111027093520_S_788. Acesso em: 17 de novembro de 2014.

GIROTTO, A. F.; SOBESTIANSKY, J.; DALLA COSTA, O. A.; MATOS, M. P. C.; PÔRTO, R. N. G. Avaliação econômica de alta prevalência de infecção urinária em matrizes em um sistema intensivo de produção de suínos.Concórdia: EMBRAPA-CNPSA,. 4 p, 2000. (ComunicadoTécnico nº 259).

GOLDBERG, A. M. G. Manual de urinálise suína: da coleta a análise dos resultados. 2007. 78f. Monografia (Especialização em análises Clínicas Veterinárias)- Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Hirsh, D.C.; Zee, Y.C. Microbiologia veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2003, 446p.

JONES, J.E.T. Urinary system. In: LEMAN, A.D. Diseases of swine. Ames: Iowa State University, p.149-154. 1981.

KHACHATRYAN, A.R.; HANCOCK, D.D.; BESSER, T.E. Role of calf-adapted Escherichia coli in maintenance of antimicrobial drug resistance in dairy calves. Appl. Environ. Microbiol., v.70, p.752-757, 2004.

KUCHIISHI, S.S. Infecção urinária por Salmonella Typhimurium em matrizes no sul do Brasil- relato de caso. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE VETERINÁRIOS ESPECIALISTAS EM SUÍNOS, n 15, 2011, Fortaleza, CE. Anais de palestras e resumos. CD –ROM.

LARA, F. B. M.; Genotipagem de cepas de Escherichia coli uropatogênica (UPEC) isoladas no Hospital Regional de Ceilândia no Distrito Federal. 2014. 54 f. Dissertação (Trabalho de conclusão de curso) – Universidade de Brasília, Brasilia – DF.

MATOS, M.P.C.; BRITO, L.A.B.; SOBESTIANSKY, J.; PORTO, R.N.G.; SANTIN, A. P. I. Infecção urinária em fêmeas de terminação criadas intensivamente. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE VETERINÁRIOS ESPECIALISTAS EM SUÍNOS, 12., 2005. Fortaleza. Anais. Fortaleza: Abraves, 2005.p. 19-20.

MAZUTTI, K. Infecção do trato urinário em porcas: Abordagem diagnóstica e terapêutica. 2010. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

MAZUTTI, K.; LOCATELLI-DITTRICH, R.; LUNARDON, I.; KUCHIISHI, S.; LARA, A. C.; ZOTTI, E.; ALBERTON, G. C.; Evaluation of the reagent test strips and microscopic examination of urine in the diagnosis of urinary tract infection in sows. Pesq. Vet. Bras. v33, p 1103 – 1108, 2013.

MEISTER, A. R. Efeitos do cloreto de amônio, ácido cítrico e cloreto de sódio no controle de cistites em porcas. 2006. 68 f. Dissertação (Mestrado em Clínica Médica Veterinária) – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal.

MENIN, A.; RECK, C.; CAPELLI, J. C.; FERRAZ, S. N.; VAZ, E. K. Diagnóstico de infecção urinária em fêmeas suínas produtivas em granjas comerciais no sul do Brasil. Ciência Animal Brasileira, v.9, n.1, p.199-206, 2008.

MERLINI, L. S., Infecção urinária em fêmeas suínas em produção. e Suinocultura – artigos técnicos / genética. 2003. Disponível em: http://pt.engormix.com/MA-suinocultura/genetica/artigos/infeccao-urinaria-femeas-suinas-t1693/103-p0.htm . Acesso em: 20/01/2015

OLIVEIRA, F.H. Aspectos Físico-Químicos e microbiológicos da urina, pH e consistência das fezes de matrizes suínas suplementadas com ácido cítrico e cloreto de amônio. 2010. 73 f Dissertação (Mestrado em Ciência Animal Veterinária) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

PERESTRELO, R.; PERESTRELO, H. Transtornos urinários en las explotaciones intensivas de cerdos en Portugal. Anaporc, v. 68, p. 62-71, 1988.

PERESTRELO, R. V.; et al. Factores associados a eclosão da patologia das vias urinárias nas fêmeas da espécie suína exploradas intensivamente. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias. Lisboa, v. 86, n. 497, p. 4-12, 1991.

PIASSA, M. M. C.; MERLINI, L. S.; MARTINS, L. A.; GONÇALVES, D .D.; MERLINI, N. B.; CAETANO, I. C. S.; BEGOTTTI, I. L.; MORAES, F. M.; Physical, chemical and biological aspects of the urine of sows in a certificated swine reproduction farm in the city of Toledo, Paraná, Brazil. African Journal of Microbiology Research, v. 9, p 414 – 419, 2015.

PIZARRO-CERDA, J.; COSSART, P.; Bacterial adhesion and entry into host cells. Cell. 2006a;124:715–727

POLO, L.C.; LUBECK, I.; LOPES, D. C. N.; ESCOBAR, T. A.; ZURAVSKI, L.; DOWICH, G.; Análise microbiológica de urina de porcas em uma granja suinícola no extremo oeste do Rio Grande do Sul. In: Anais do Salão Internacional de ensino, pesquisa e extensão – Universidade Federal do Pampa. 2013.

PÔRTO, R. N. G. ; SOBESTIANSKY, J. ; CAIADO, K. L. ; GAMBARINI, M. L. Aspectos microbiológicos da urina de fêmeas suínas descartadas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE VETERINÁRIOS ESPECIALISTAS EM SUÍNOS, 9., 1999. Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: ABRAVES, 1999. p. 103-104.

PÔRTO, R. N. G.; SOBESTIANSKY, J.; MATOS, M. P. C.; GAMBARINI, M. L. Aspectos físicos químicos e microbiológicos da urina de matrizes suínas descartadas. Ciência Rural, v.33, n.2, p.319-324, 2004.

SOBESTIANSKY, J.; WENDT, M. Infecções urinárias na fêmea suína:epidemiologia, sintomatologia, diagnóstico e controle. In: VI CONGRESSO BRASILEIRO DE VETERINÁRIOS ESPECIALISTAS EM SUÍNOS, 1993, Goiânia. Anais... Goiânia: ABRAVES, 1993, p. 51-63.

SOBESTIANSKY, J.; PERUZO B. F.; DALLA COSTA, O.; WENDT, M. Infecção urinária de origem multifatorial na fêmea suína em produção. Concórdia: EMBRAPACNPSA, 1995. 9 p . (Comunicado Técnico n.º 16).

SOBESTIANSKY, J.; BARCELLOS, D.; MORES, N.; CARVALHO, L. F.; OLIVEIRA, S. Clínica e patologia suína. 2. ed. Goiânia: Art 3, 1999. 464 p.

SOBESTIANSKY, J. Infecção urinária em fêmeas em produção. In: SOBESTIANSKY, J. e BARCELLOS, D. Doenças dos Suínos. Goiânia : Cânone Editorial, 2007. p.127-141.

VAZ, E. K; SOBESTIANSKY, J.; BRUM, S. M.; ZAGO, E. C.; TONNEMANN, M. E. V. Ocorrência de Actinomyces suis em fêmeas em produção provenientes de granjas com transtornos reprodutivos localizadas no planalto catarinense - Santa Catarina. Ciência Rural. v. 27, n. 3, p. 447-449, 1997.

WU, G.; CARTER, B.; MAFURA, M.; LIEBANA, E.; WOODWARD, M. J.; Genetic diversity among Escherichia coli O157:H7 isolates and identification of genes linked to human infections. Infect Immun 76., 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.