Natural acid in overcoming pinha seed dormancy (Annona squamosa L.)

A. R. Santos, M. T. R. Cardoso, A. F. J. Pinto, M. S. P. Paula, M. C. Vieira, G. D. Silva

Resumo


The production of good quality seedlings becomes essential strategy for those who wish to become production that is more competitive. To induce dormancy breaking and germination and emergence of these, the imbibing of natural acid in seeds can be an alternative for the optimization of this process. The aim of this study is to evaluate the dormancy breaking in Anonna seeds squamosa immersed in different natural acid in times through the lemon juice Rangpur (Citrus limonia Osbeck). This work is being conducted in Biotecnogia laboratory greenhouse at the Federal Institute Goiano campus Urutaí where the seeds were soaked in lemon juice Rangpur (C. limonia) in five different times, each time constituting a treatment: seeds without soaking in lemon groove variety Cravo '(T1); soaked for 8 hours (T2); soaked for 16 hours (T3); soaked for 24 hours (T4); soaked for 32 hours (T5). The seeds were sown in plastic boxes with dimensions 40 x 27 x 10 cm, containing washed sand substrate, 2 cm deep in spacing of 2 x 2 cm. The germination percentage data were determined up to 45 days after sowing (DAS), and survival to 73 (DAS). After 73 DAS were evaluated after 73 days of sowing, they were evaluated; germination and survival; emergence speed index (EVI); total length of seedlings; shoot length of seedlings and radicle length (cm); Stem diameter (mm); pair of leaf number (MPN); total fresh mass changes (MFT); dry matter of shoot and radicle (g). There was not statistical diseases among treatments. T4 treatment in comparison to others on the numerical difference CTM, NPF, DC and CPA. 


Palavras-chave


Fruit trees, Seedlings, Propagation

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO NETO, A. C.; ARAÚJO, P. C.; MOREIRA, E. S.; GABRIELA LUZ PEREIRA MOREIRA, G. L. P.; MEDEIROS, J. G. F. Procedências emergência e vigor de sementes de pinha (Annona squamosa L.) De diferentes regiões. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.9, n.17; p. 2011548 3

ARAÚJO, J. F (1991) Tratamentos para acelerar e uniformizar a emergência de sementes de pinha (Annona squamosa L.). 1991. Dissertação de Mestrado. Cruz das Almas, Universidade Federal da Bahia, 82p.

CARVALHO NM, NAKAGAWA J (2000) Sementes: ciência, tecnologia e produção. Jaboticabal, FUNEP. 588 p.

DONADIO, L.C. Situação atual e perspectiva das Anonáceas. In: SÃO JOSE, A.R.; VILAS BOAS, I.; MORAIS, O.M.; REBOUÇAS, T.N.H., ed. Anonáceas: produção e mercado (pinha, graviola, atemóia e cherimólia). Vitoria da Conquista: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, 1997. p. 1-4.

FACHINELO, J. C. HOFFMANN, A. NACHTIGAL, J. C. Propagação de plantas frutíferas. Brasília, DF: Embrapa Informação. Tecnológica, 2005. 221.

GARNER, R. J.; CHAUDHRI, S. A. (1976) Annona muricata – soursop; ecology and growth in relation to propagation of tropical fruit trees. Slough: CAB. p. 233-235.

FERREIRA, G.; ERIG, P. R.; MORO, E. (2002). Uso de ácido giberélico em sementes de fruta-do-conde (Annona squamosa L.) visando à produção de mudas em diferentes embalagens. Revista Brasileira de Fruticultura 24 (1):178-82.

KAVATI, R.; PIZA JUNIOR, C. T. Formação e manejo do pomar de fruta-do-conde, atemóia e cherimóia. In: SÃO JOSÉ, A. R.; VILAS BOAS, I.; MORAIS, O. M.; REBOUÇAS, T. N. H., ed. ANONNACEAS: produção e mercado (pinha, graviola, atemóia, cherimólia). Vitoria da conquista: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, 1997. p. 75-83.

LABOURIAU, L. G. A emergência das sementes. Washington: OEA, 174 p. 1983.

LARCHER W. (2000) Ecofisiologia Vegetal. São Carlos, Rima. 531 p.

LEMOS. E. E. P.; CAVALCANTE, R. L. R. R.; CARRAZONE, A. A.; LOBO, T. M. L. (1987) Emergência de sementes de pinha submetidas a tratamentos para quebra de dormência. In: Congresso Brasileiro de Fruticultura, Campinas. Anais…, SBF. 2:675-678.

PAIVA, R.; GOMES, G. A. C.; SANTANA, J. R. F.; PAIVA, P. D. O.; DOMBROSKI, J. L. D.; SANTOS, B. R. Espécies frutíferas com potencial econômico: avanços no processo de propagação. Informe Agropecuário, 23 (216):78-84. 2002.

SÃO JOSÉ, A. R.; PIRES, M. M.; AFONSO LÚCIO GOMES ESTRELA DE FREITAS, A.L. G. E.; DENIS PEREIRA RIBEIRO, D. P.; PEREZ, L. A. A. Atualidades e perspectivas das Anonáceas no mundo1. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.36 n.spe1. 2014

SILVA, A.Q, da; SILVA, H. Nutrição e adubação em Anonáceas. In: SÃO JOSE, A. R.; VILAS BOAS, I.; MORAIS, O. M.; REBOUÇAS, T. N. H., ed. Anonáceas: produção e mercado ( pinha, graviola, atemóia e cherimólia). Vitoria da Conquista: Universidade Estadual da Bahia, 1997. P. 118-137.

WAGNER JÚNIOR, A.; PIMENTEL, L. D.; NEGREIROS, J. R. S.; NERES, C. R. L.; RODRIGO ALEXANDRE, R. S.; DINIZ, E. R.; BRUCKNER, C. H. Influência do tempo de embebição em água sobre a dormência de sementes de pinha (Annona squamosa l.). Revista ceres. v.53, N.307, P.317-32, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.